quarta-feira, 28 de maio de 2014


O destino não vem do exterior para o homem, ele emerge do próprio homem. 

Rainer Rilke



Pintura: arte de Louise O'Hara

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Assim o Amor


Assim o amor
Espantado meu olhar com teus cabelos
Espantado meu olhar com teus cavalos
E grandes praias fluídas avenidas
Tardes que oscilam demoradas
E um confuso rumor de obscuras vidas
E o tempo sentado no limiar dos campos
Com seu fuso sua faca e seus novelos

Em vão busquei eterna luz precisa

Sophia de Mello Breyner Andresen, in “Obra Poética” 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

aos meus amigos nunca pedi


Aos meus amigos nunca pedi mais
que um copo de água
sobre a mesa
E tudo o que me deram foi
seus lábios cheios de sede
Por isso minha vida
é
e lhes sou grato.

Daniel Faria (LJ)
Foto: Porto - Foz

domingo, 18 de maio de 2014

Viver de Amor

 

"...
Viver de Amor não é sobre esta terra
Fixar sua tenda no alto do Tabor.
É com Jesus, subir o Calvário;
É olhar a cruz como um tesouro!...
No Céu, devo viver de gozo;
Então, a provação terá fugido para sempre.
Mas exilada, eu quero no sofrimento,
Viver de Amor.
Viver de Amor é dar-se sem medidas,
Sem reclamar salário sobre esta terra.
Ah! Sem contar, eu dou bem convencida
Que quando se ama, não se calcula!
Ao Coração Divino, transbordante de ternura
Eu tudo dei, corro ligeira,
Nada mais tenho que essa única riqueza:
Viver de Amor.
...

Morrer de Amor, eis aí minha esperança.
Quando vir quebraram-se meus laços,
Meu Deus será minha grande recompensa.
Outros bens não quero possuir,
Quero ser abrasada em teu Amor,
Quero vê-Lo e a Ele me unir para sempre.
Eis aí o meu Céu, eis meu destino:
Viver de Amor!!!..." 

Poesia de Santa Teresinha do Menino

Foto: Visita à Casa de Sicar (recanto de Oração)

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Se fosses


Se fosses pássaro baterias as asas para destruir a armadilha
Se fosses insecto deixarias circulos apenas ao redor da luz
Se fosses abelha farias zumbir a revolta
Mas és voo pela sombra
Se fosses formiga carregarias a ordem, armazenarias a fadiga
Se fosses flor polinizarias a terra
Serias coroa incorruptível
Se fosses flor através das estações

Daniel Faria

Quando o reconhecem, deixam de O ver...

"Reconhecido, Jesus desaparece da sua vista. Aquele que, como Corpo, diz «tomai e comei» é o mesmo que passa, dizendo «não me tocar». A presença do ressuscitado recusa fazer-se morada que aprisione, coisa que se possua. Agora, é nos lugares concretos da humanidade que o podemos encontrar".
 "Quando vêem não O reconhecem; mas quando o reconhecem, deixam de O ver" 

(P. José Frazão, sj - ao comentar uma passagem dos discípulos de Emaús)